Comandante dos Bombeiros de Jaboticabal pede socorro aos vereadores


Vereadores de Jaboticabal recebem o comandante dos Bombeiros de Jaboticabal, sargento Tavares.

Os vereadores da Câmara Municipal de Jaboticabal receberam no início da noite dessa segunda-feira (18/06), antes da sessão ordinária, o comandante do 9º Grupamento do Corpo de Bombeiros, de Jaboticabal, o sargento Tavares. O objetivo da reunião, solicitada pelo comandante, foi expor os problemas enfrentados pela corporação diante da falta, ou necessidade da troca, de equipamentos. O comandante alertou que a falta de recursos para a compra de equipamentos pode colocar em xeque o salvamento de vidas na microrregião atendida pelo grupamento. Tavares aproveitou para pedir apoio dos parlamentares para possíveis projetos voltados ao Corpo de Bombeiros que possam chegar a Casa Leis.

Segundo Tavares, há dois meses à frente do comando do Corpo de Bombeiros de Jaboticabal, alguns equipamentos estão muito antigos e precisam ser renovados, e a falta deles, pode resultar na dificuldade de atendimentos à população de Jaboticabal e região, já que o Grupamento atende também Pradópolis, Monte Alto e Guariba.

O sargento também explicou aos vereadores que um convênio assinado no passado entre o Município de Jaboticabal e o Estado, para que um grupamento fosse sediado na cidade, prevê que o estado ceda o efetivo militar e dê treinamentos, enquanto a aquisição de equipamentos, de viatura, manutenção e pagamento dos bombeiros municipais sejam feitos pelo município. Hoje, o efetivo é formado por 13 bombeiros militares e 23 bombeiros municipais, estes últimos, pagos com recurso municipal.

Mas, o orçamento repassado pelo Executivo jaboticabalense, que hoje é de cerca de R$ 1 milhão ao ano, não está sendo suficiente para o pagamento da folha de pessoal e ao mesmo tempo para a compra ou troca dos equipamentos considerados essenciais para o salvamento de vítimas, como em incêndios, encarceramentos em acidentes automotivos, entre outros.


Comandante dos Bombeiros acredita que a união dos municípios na disponibilização de recursos voltados à compra e manutenção de equipamentos pode garantir um bom atendimento à população.

Além do mais, apesar dos Bombeiros também atenderem os municípios de Pradópolis, Monte Alto e Guariba, Tavares ponderou que grande parte dos recursos do Corpo de Bombeiros é proveniente somente do caixa do Poder Executivo jaboticabalense. “É quase impossível a prefeitura de Jaboticabal, sozinha, suprir as necessidades do Bombeiro. Um exemplo de uma ocorrência que é quase rotineira é o acidente com vítima presa nas ferragens. O equipamento completo, para as duas viaturas, fica em quase R$ 300 mil”, ilustrou Tavares, após revelar que o equipamento de desencarceramento dos Bombeiros de Jaboticabal está “bem antigo e era feito para cortar fusca... para as ferragens que a gente encontra em alguns veículos novos hoje, o equipamento pode quebrar e não tira a vítima. Ele é fraco além de demorado. Um novo, de última geração, pode levar em torno de 5 minutos para retirar a vítima, o que temos aqui, leva em torno de 40 minutos. São equipamentos caros, mas não é luxo. É necessário para a população”, garante Tavares.

Levantamento feito pelo comandante aponta que o Corpo de Bombeiros da cidade precisa de uma câmera térmica, para ajudar no resgate de vítimas em incêndio, que custa em torno de R$ 30 mil; de um novo conjunto de desencarcerador para as viaturas, utilizado na retirada de vítimas das ferragens, que custa cerca de R$ 300 mil; da troca de fardamento, quase R$ 90 mil; entre outros. As cifras são altas, mas Tavares acredita que a união dos municípios na disponibilização de recursos voltados à compra e manutenção de equipamentos pode garantir um bom atendimento à população.

Uma das propostas trazidas pelo comandante é a criação de um consórcio entre os municípios atendidos pelo Nono Grupamento. “Já conversamos com alguns prefeitos da região e vamos marcar uma reunião com todos os prefeitos para discutirmos o assunto, que é de extrema importância”, contou Tavares, ao adiantar que o prefeito de Guariba já teria sinalizado positivamente para enviar para a Câmara daquela cidade um projeto de lei para repasses ao Corpo de Bombeiros sediado em Jaboticabal.

Os parlamentares jaboticabalenses, por sua vez, demonstraram apoio ao comandante e afirmaram que não deve haver dificuldades de aprovação caso algum projeto sobre o assunto chegue na Casa. Porém, os vereadores explicaram que projetos desse tipo devem vir do Executivo, já que o Legislativo não pode editar norma desta natureza, que é de competência do Poder Executivo. Os vereadores ainda reforçaram a necessidade de uma reunião entre o comando dos Bombeiros e os prefeitos da região, com convite extensivo para os presidentes das Câmaras, para um debate profundo do que pode ser feito para sanar a problemática da falta de recurso para a aquisição e manutenção de equipamentos.


Ana Paula Junqueira
Assessoria de Comunicação
(16) 3209-9478