Escola Sustentável: PL propõe merenda só com proteína vegetal pelo menos uma vez por semana


Vereador Luís Carlos Fernandes, autor do PL 116/2018, fala sobre o projeto durante uso da tribuna no Expediente da sessão ordinária do dia 16 de abril.

Com o objetivo de ajudar na prevenção de possíveis doenças como sobrepeso infantil e alguns tipos de cânceres, o vereador Luís Carlos Fernandes (PSC) apresentou na Câmara Municipal de Jaboticabal o Projeto de Lei nº 116/2018, que cria o “Programa Escola Sustentável”. A proposta é substituir, pelo menos uma vez por semana, a proteína animal pela proteína vegetal nas refeições oferecidas nas merendas das escolas municipais. A matéria, que foi lida na sessão ordinária do dia 16 de abril, segue em tramitação na Comissão de Justiça e Redação da Casa.

O texto do projeto traz ainda que as refeições deverão ser preparadas com alimentos de proteína vegetal já existente na cozinha de cada unidade escolar, e as merendeiras e cozinheiras da rede municipal de ensino poderão passar por capacitação para o preparo das refeições feitas exclusivamente com proteína vegetal.

De acordo com o parlamentar, o projeto segue uma orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a adoção de uma dieta baseada no consumo de alimentos de origem vegetal. Em 2015, a OMS alertou sobre a necessidade de reduzir o consumo de carne vermelha, classificada pela organização como “provavelmente carcinogênicos”, além de se evitar o consumo de carne processada e embutidos como salsicha, bacon, presunto, linguiças, entre outros.

Segundo estudos apresentados pela OMS, carnes processadas e embutidos podem favorecer o desenvolvimento de cânceres, como o de colorretal, ou seja, no intestino. Da mesma forma, a Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer (IARC) apontou que a ingestão de cerca de 50 gramas de embutidos por dia aumenta em 18% a chance de desenvolvimento de câncer colorretal.

“Apresentamos o projeto pensando justamente na prevenção, numa melhor qualidade de vida. E Jaboticabal avança. Não podemos ficar parados no tempo. Nós temos hoje vários países e cidades no Brasil fazendo isso. Em São Paulo já tem desde 2009. Vejo Jaboticabal dando um passo gigantesco na questão sustentável, na questão de qualidade de vida e principalmente prevenção à saúde”, defende o vereador.


"Pode sim ser uma oportunidade de uma variação nos cardápios escolares, e ainda assim, dar garantia do valor nutricional", diz a nutricionista Francille Húngaro.

Para a responsável técnica pela alimentação escolar do Município, a nutricionista Francille Húngaro, a prioridade é garantir o teor nutricional diante da substituição da fonte animal pela vegetal. “Quando se fala em carne, a gente fala em um nutriente que chama proteína, então fazemos a adequação do valor proteico. Pode sim ser uma oportunidade de uma variação nos cardápios escolares, e ainda assim, dar garantia do valor nutricional, atendendo a legislação vigente”. Segundo Francille, em Jaboticabal são servidas em torno de 20 mil refeições diárias para alunos de várias idades.


Chef da HSI, André Vieland, prepara os alimentos à base de proteína vegetal para ser servido em degustação para representantes do Poder Executivo.

PARCERIA – Para apresentar o projeto e viabilizá-lo caso seja aprovado na Câmara, Luís Carlos Fernandes buscou a parceria da Humane Society International (HSI), entidade americana sem fins lucrativos com atuação em diversos países, entre eles o Brasil, que incentiva a redução do consumo de carne, além de defender questões animais. A ONG se prontificou em capacitar as merendeiras e cozinheiras na preparação de uma série de receitas econômicas e nutritivas, usando ingredientes locais acessíveis. “A gente desenvolve o cardápio junto com a nutricionista para dar todo o approach nutricional que as crianças precisam, e a gente dá ainda o treinamento para que a comida que seja preparada seja gostosa”, explicou o chef de cozinha da HSI, André Vieland. O vereador, por sua vez, destacou que “toda orientação, formação e capacitação dos profissionais na área da merenda, nutrição, será à custo zero para a prefeitura”.

Fernandes ainda destacou que ao adotar a campanha, “o Município recebe pontuação elevando seu lugar no ranking do ‘Selo Município Verde Azul’, auxiliando na liberação de recursos do Fundo Estadual de controle da Poluição (FECOP), e aumentando o repasse da verba estadual”.


Representantes do Poder Executivo participam de encontro com o vereador Luís Carlos e integrantes da HSI para apresentação do projeto apresentado pelo parlamentar na Câmara.

DEGUSTAÇÃO – Para apresentar a proposta ao Poder Executivo e convencer mostrando na prática que comida saudável feita à base de vegetais também pode ser gostosa, o parlamentar organizou juntamente com a HSI um almoço de degustação que reuniu os secretários municipais. O evento aconteceu em abril, no Centro Recreativo Edson Martini, e teve no cardápio três pratos: macarrão à bolonhesa (substituindo a carne vermelha por soja), escondidinho (a base de batata com carne de soja bem temperada) e Baião de Dois (com feijão carioca, legumes e um pouquinho de soja), todos preparados pelo chef de cozinha, Vieland. “São três preparos que a gente costuma indicar para o consumo nas escolas porque são pratos comuns, que as mães fazem em casa, que não fogem muito da memória gustativa”, disse o chef.

Na oportunidade, a gerente de políticas alimentares da HSI no Brasil, Sandra Lopes, apresentou a organização aos representantes do Poder Executivo e falou brevemente dos benefícios do consumo da proteína vegetal. “A campanha não é restritiva. Não tira nada de ninguém, ela substitui a proteína animal pela vegetal. A ideia é de que Jaboticabal se junte pela saúde das crianças e pelo meio ambiente a essa campanha”, afirmou Sandra.


Secretário municipal da pasta de Educação, Adilson Martins, fala sobre a proposta do vereador à WEBTV da Câmara.

“A gente está muito contente e esperançoso de que será um excelente projeto. Obviamente isso envolve ainda muito a parte nutricional, de um cronograma de aplicação na rede, mas em princípio, estamos bem esperançosos. Que isso possa dar certo”, disse o Secretário Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Adilson Martins, que na ocasião experimentou pela primeira vez uma refeição a base de soja. “Me surpreendi. Muito bom de fato”, opinou o secretário.


Ana Paula Junqueira
Assessoria de Comunicação
(16) 3209-9478