Samuel Cunha quer incluir escolas particulares em lei que prevê formação de primeiros socorros para professores de educação física


Representantes de 11 escolas participam da reunião com o vereador Samuel Cunha sobre a formação em primeiros socorres para docentes de educação física e funcionários escolares.

O vereador Samuel Cunha (PSDB) anunciou, em reunião na manhã dessa sexta-feira (04/05) com representantes de escolas particulares da cidade, que deve apresentar nas próximas semanas um novo projeto que inclui os estabelecimentos de ensino privados na lei que prevê formação em curso de primeiros socorros para professores de educação física e funcionários indicados pelas instituições de ensino.

Aprovada em março deste ano pela Câmara e sancionada no mesmo mês pelo Prefeito Municipal, a Lei nº 4.911/2018, de autoria de Samuel Cunha, trata da formação anual em curso de primeiros socorros dos docentes de educação física, e de funcionários indicados pelas escolas, porém, somente para as escolas municipais.

De acordo com o parlamentar, o convite para os estabelecimentos de ensino privado foi feito para antecipar a notícia ao público-alvo da nova proposta e discutir sobre o assunto. Ao todo, 11 escolas participaram da reunião, algumas delas já desenvolvem anualmente a capacitação.

Durante o encontro, dois vídeos envolvendo casos acidentais em grupos escolares foram apresentados. Um deles acabou em morte. Lucas, de 10 anos, que estudava em um colégio particular, acabou se engasgando com o lanche servido durante um passeio escolar, não recebeu os primeiros socorros de forma rápida e adequada, e morreu por asfixia mecânica.

“É importante que todos estejam preparados para dar essa tranquilidade aos pais, aos alunos. Caso aconteça algum tipo de acidente, para fins de primeiros socorros, como engasgar, convulsão, estejam os funcionários preparados para fazer os primeiros atendimentos até que o pessoal mais capacitado, seja ele dos Bombeiros, seja do SAMU, seja das unidades de saúde, cheguem até o estabelecimento para fazer o atendimento mais específico. Se vier uma conscientização, todas as unidades vão fazer. Ou seja, são escolas preparadas, funcionários preparados, tranquilidade para os pais e alunos dessas unidades”, defende Cunha.


Coordenadora da Creche Maria do Carmo Abreu Sodré, Nilza Lopes, apoia a iniciativa.

Para a coordenadora da Creche Maria do Carmo Abreu Sodré, Nilza Lopes, o debate com as escolas, bem como a proposta do vereador, vem ao encontro das necessidades dos estabelecimentos de ensino quanto ao cuidado com os alunos. “O acidente ocorre em qualquer lugar, independente de você estar preparado ou não. É o tipo de preparo que a gente tem que ter para não usar. Mas como acidente ocorre... então se a gente estiver preparado é muito melhor. Tomara que a Lei tenha uma velocidade bastante grande. Muitas vezes a gente tem algumas dificuldades para fazer isso [capacitação em primeiros socorros], uma por custo, outra por disponibilidade das autoridades. Então a força da lei nos ajuda muito. Eu parabenizo o Samuel por isso, e tomara que ele tenha força para dar continuidade, porque o nosso apoio ele terá com certeza”, disse Nilza.

A galeria de fotos da reunião está disponível no Facebook da Câmara.



Ana Paula Junqueira
Assessoria de Comunicação
(16) 3209-9478