Cantora Giane, “A Voz Doçura” da Jovem Guarda, será homenageada na Câmara de Jaboticabal


Giane se apresenta em programa no SBT em 2006.

A cantora brasileira Giane, uma das precursoras do movimento da Jovem Guarda, deve se tornar conterrânea de Jaboticabal. A sessão de homenagem ainda não tem data definida para acontecer, mas o autor da proposição, o vereador João Bassi (PEN), espera que a solenidade seja marcada para o segundo semestre deste ano. Votado e aprovado por unanimidade na Câmara Municipal de Jaboticabal, o Decreto Legislativo nº 680/2017 que concede o Título de Cidadão Jaboticabalense à cantora foi publicado no Diário Oficial do dia 24 de junho de 2017.

Intérprete de baladas românticas na década de 60 e 70, Giane alcançou o sucesso em 1964 com a versão em português da música "Dominique", gravada originalmente por Soeur Sourire. A canção marcou Giane como uma das primeiras intérpretes no Brasil a fazer a segunda voz para si mesma, no refrão de "Dominique", que permaneceu por cerca de seis meses nas paradas de sucesso das rádios pelo país afora. A cantora desbancou até mesmo o Rei Roberto Carlos, acostumado a emplacar músicas em 1º lugar nas rádios.


Giane segura o seu troféu Roquette Pinto, um dos mais importantes da época.

Giane gravou versões de outros hits europeus que ganharam as ondas das rádios nacionais, como a canção "Longe do Mundo” [The end of the World]", em 1965, com a qual ganhou o Troféu Roquette Pinto, um dos mais importantes prêmios na época.

“Apesar de não ter nascido em Jaboticabal, Giane morou aqui em nossa cidade com a família na infância, e sempre levamos conosco parte dos lugares por onde passamos. Nada mais justo do que homenagearmos esta pessoa de talento, carisma e caráter incomparáveis que passou por terras jaboticabalenses e semeou a arte pelo Brasil e em outros países, como Portugal, com tanto amor”, diz João Bassi.



TRAJETÓRIA
Georgina Morozina dos Santos, que adotou o nome artístico Giane, é natural de Taquaral (SP) e passou os primeiros anos da infância em Jaboticabal, onde morou com a família. Giane atuou como crooner da Jaboticabal Orquestra e em 1962 gravou seu primeiro trabalho pela gravadora Chantecler. Em 1964 alcançou o sucesso com a versão em português da música Dominique. Ao longo da carreira, gravou cerca de vinte discos entre compactos e LP’s. Clique aqui e saiba mais sobre esta artista que encantou e embalou corações nas décadas de 60 e 70.

OUÇA ALGUMAS INTERPRETAÇÕES DE GIANE
Dominique (1964)
Angelita [Angelita Di Anzio] (1965)
Eu não posso Namorar (1965)
Longe Do Mundo [The end of the world] (1965) – ganhadora do troféu Roquette Pinto
Não Saberás [N’avoue Jamais] (1966)
Olhos tristes [There Won’t Any Snow) (1966)
Adeus [Goodbye] (1969)
Estrada do Sol [Alle Porte Del Sole] (1974)

Confira a participação de Giane no programa Rei Majestade, em 2006, no SBT:



Texto: Abel Ziviani – Assessoria do vereador João Bassi (16) 3209-9490
Edição: Ana Paula Junqueira