Previsão orçamentária para 2017 é apresentada em audiência pública na Câmara de Jaboticabal


Contador na Prefeitura Municipal, José Aparecido Quintino, apresenta a previsão orçamentária de Jaboticabal para 2017.

A Câmara Municipal de Jaboticabal realizou nessa terça-feira (27/09) a audiência pública para debater com a comunidade as diretrizes orçamentárias para 2017. A previsão é de que Jaboticabal tenha uma receita total de R$ 304 milhões de reais, particionados entre Prefeitura, Câmara, Saaej, Seprem e Fundação de Amparo ao Esporte (FAE). A estimativa está contida no Projeto de Lei nº 531/2016, das Diretrizes Orçamentárias (LDO), que será discutido e votado em primeira discussão na sessão ordinária do dia 03 de outubro de 2016, às 20h, na sede do Legislativo jaboticabalense.

Do montante estimado para o Orçamento 2017, 74% (R$ 225.5 milhões) serão destinados à Prefeitura Municipal; 14% (R$44 mi) para o Seprem; 8% (R$ 23 milhões) para o Saaej; 3% (R$9.9 milhões) para a Câmara Municipal; e 1% (R$1.6 mi) para a FAE.


Divisão do montante, previsto no Orçamento, a programas do Governo Municipal para o ano que vem.

Um estudo de comportamento realizado pelo Executivo apontou que para o próximo ano, a receita da Prefeitura, que deve ser de aproximadamente R$ 225.5 milhões, terá um decréscimo de 7,15% diante dos R$ 242.9 milhões na sua receita em 2016. “Dentro das transferências correntes, se mostraram com comportamento abaixo do esperado esse ano. Então estão menores. Mas a maior diferença são os convênios. Esse ano tinha uma estimativa de convênio que não se realizou, de convênios celebrados com órgãos do Governo Federal e do Estado, então preferimos não repetir esses valores para o ano que vem”, explicou o contador da Prefeitura Municipal, José Aparecido Quintino, durante a apresentação dos dados.

As áreas da saúde e educação devem contar com a maior fatia do orçamento para a execução de seus programas em 2017, sendo R$ 64 milhões para a saúde e R$ 66 milhões destinados à educação. Além da previsão legal, “os valores são elaboradores de acordo com o comportamento das contas no momento em que se elaboram as peças. Todos os valores apurados estão fundamentados em como as contas estão se comportando até então”, explica Quintino.


Munícipes acompanham explanação do Orçamento para 2017.

Para lembrar – A LDO estabelece metas de política fiscal para o exercício seguinte, planejando a gestão fiscal de forma a garantir o equilíbrio entre receitas e despesas. A partir das diretrizes orçamentárias, o chefe do executivo elabora a Lei Orçamentária Anual (LOA), que deve ser enviada à Câmara Municipal até 31 de outubro para apreciação do Legislativo.


Ana Paula Junqueira
Assessoria de Imprensa
(16) 3209-9478